sexta-feira, 12 de julho de 2013

DE VOLTA AO "MORRO DO GRAVI", 81 ANOS DEPOIS.

Apresentamos hoje, um video histórico! O combatente José Mango, que esteve na última resistência da principal zona de combate do Setor Leste, o "Morro do Gravi", volta ao local, exatamente 81 anos depois. Neste video, ficaram gravadas suas impressões e emoções desta manha extremamente agradável que passamos em Itapira!
Pedimos ao nossos leitores e irmãos M.M.D.C. que compartilhem este episódio histórico para nossa Sociedade Veteranos de 1932-M.M.D.C.




Natural da cidade paulista de Altinópolis, José Mango se alistou como voluntário na Revolução Constitucionalista aos 19 anos de idade. Na capital paulista, se uniu ao famoso 4º Batalhão do R.I. "9 de Julho", sendo enviado a Campinas, onde aguardou ordens de seguir para a batalha. Chegou a Mogi Mirim desarmado e praticamente sem nenhum treinamento, sendo enviado com urgência para a região do "Morro do Gravi" (situado na divisa entre Itapira e Mogi Mirim), onde as tropas paulistas que recuaram de Eleutério cavaram trincheiras rasas. Ali, unindo-se ao 6º R.I. (Exército), Força Pública, e outros batalhões de voluntários paulistas, resistiu ainda por cerca de 72 horas à grande investida dos mais de 10 mil homens do Exército Federal, comandados por Eurico Gaspar Dutra. Mango e seus companheiros de luta, foram atacados pela esquerda (na região dos atuais bairros da Santa Fé, Santa Marta e Della Rocha) pelos batalhões provisórios que vinham da Bahia, Ceará, Sergipe, Rio Grande do Norte, Alagoas e o famoso 14º batalhão do Rio Grande do Sul, comandado por Benjamin Vargas, irmão de Getúlio Vargas.
Após o término dos confrontos, quando retornou ao Q.G., Mango, à procura de seus companheiros, encontrou apenas 1/3 dos jovens voluntários que partiram com ele para o fronte de batalha.


Nenhum comentário:

Postar um comentário