sexta-feira, 28 de junho de 2013

ROSALINO SILVA |VOLUNTÁRIO ITAPIRENSE MORTO EM COMBATE|

Sargento do 2º Batalhão “9 de Julho”, Rosalino Silva, filho do senhor Firmino Pedroso e dona Antônia das Dores e Silva, era nascido em Itapira. Casado com dona Maria Correia Silva deixou dois filhos: Sebastião (com 10 anos) e Wilson (com 9 anos) na época. Tomou parte viva nos combates do Setor Sul, desde o começo do conflito armado. Foi um valente  soldado que defendeu com orgulho a causa que se entregara inteiramente. 
Devido a queda de Itararé e Buri, o fronte de batalha no Setor Sul deslocou-se sucessivamente para Apiaí Mirim e Paranapanema, região em que ocorreram combates decisivos. O setor do Paranapanema foi formado a partir de manifestações de adesão nas cidades do norte do Paraná em favor do movimento constitucionalista. Nesse sentido, os revolucionários estabilizaram suas frentes montando vigilância no entorno da ferrovia Sorocabana, especialmente nas cidades de Assis e Ourinhos, brindo quase 150 quilômetros de território paulista para as tropas federais, a Coluna Sul.
Em um combate sangrento contra as tropas federais, no dia 1 de setembro, no lugar denominado “Saltinho”, à margem do Rio Paranapanema, estilhaços de granada alcançaram-no no pulmão, ferindo-o de morte. Recolhido a fazenda Santa Albertina, nas proximidades da estação de Engenheiro Hermilo, apesar de carinhosamente tratado, faleceu no mesmo dia, sendo sepultado em Angatuba. Imagens ainda inéditas desta batalha, podem ser vistas  em um longa-metragem, produzido pela Groff Film em formato 35mm. Os letreiros no início do filme informam: "Esta é a única película executada durante a ação do Exército Sul que operou contra os constitucionalistas de S. Paulo e Mato Grosso. A filmagem foi autorizada pelo Estado Maior e pelo Comando Supremo das Tropas - General Waldomiro Lima .

|SE VOCÊ É FAMILIAR, OU CONHECE FAMILIARES DESTE VOLUNTÁRIO, POR FAVOR, ENTRE EM CONTATO CONOSCO. PROCURAMOS POR FOTOGRAFIAS E QUAISQUER TIPOS DE DOCUMENTOS REFERENTES AO VOLUNTÁRIO ITAPIRENSE "ROSALINO SILVA". ESTA SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A PESQUISA E HISTÓRIA DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932 É DE EXTREMA IMPORTÂNCIA|



quarta-feira, 26 de junho de 2013

100 ANOS DE DONA MARIA DE LOURDES PINTO PICARELLI

    Maria de Lourdes Pinto Picarelli nasceu em Socorro aos 21 de junho de 1913. Filha de Pedro Pereira Pinto e Francisca Franco, completou, neste 21 de junho, 100 anos de uma profícua vida em favor de todos aqueles que a conhecem e privam de sua amizade. De todos quer dizer, de sua família, de sua Igreja, de seus amigos e da sua Terra Paulista.
    Em Socorro, onde sempre viveu, na constância de um matrimônio com  o farmacêutico Laércio Picarelli, o qual , como Cabo, participou da Revolução Constitucionalista de 1932, incorporado ao Batalhão “23 de Maio”, combatendo nas fronteiras com Minas, no setor Eleutério-Socorro.  Maria de Lourdes foi, à época, voluntária e trabalhou na Casa do Soldado durante a Revolução, participando de cada momento e vivendo intensamente cada fato acompanhando cada dia do Movimento Paulista. Com Laércio, teve quatro filhos, de onde vieram 14 netos e 09 bisnetos.  Guardou, com carinho e zelo, jornais, revistas, panfletos e uma infinidade de material impresso sobre o Movimento de 32 doando, há pouco tempo, tudo para o Museu da Cidade de Socorro.


     A convite de sua estimada família, o Núcleo M.M.D.C. de Itapira "Cel. Francisco Vieira" compareceu a festa de seu centenário, na cidade paulista de Socorro. Lá, os membros do Núcleo foram muito bem recebidos por essa linda e calorosa família.
     Para homenagear a Dona Maria de Lourdes, por intermédio do presidente da Sociedade Veteranos de 1932-M.M.D.C., Cel Mário Ventura, o Núcleo M.M.D.C. de Itapira "Cel. Francisco Vieira" outorgou a ela, sua mais importante honraria, o "Diploma Cel. Francisco Vieira" (Destinado a ex-combatentes, familiares de ex-combatentes, pesquisadores e a pessoas que fizeram algo relevante em prol a Memória e a História da Revolução Constitucionalista).
     Devemos dizer que ficamos extremamente honrados em poder conhecer esta veterana, que tanto fez para São Paulo e pelo Brasil! Que dedica um século de vida pelos ideais constitucionalistas e que jamais se esqueceu de todos aqueles que, como ela, entregaram sua vida e sua juventude, sem medo, para São Paulo!


     Agradecemos a toda a família Piccarelli que tão bem nos recebeu e compartilhou conosco sua alegria de ter por perto esta matriarca tão importante, para eles e para a cidade de Socorro! Que Deus ilumine a todos vocês e a esta pessoa maravilhosa chamada Maria de Lourdes Pinto Picarelli, que ele continue  abençoando-a com saúde, felicidade e amor!
     Dona Maria de Lourdes, um exemplo de cidadã, de paulista, de mãe, enfim, uma mulher de garra que nos inspira a continuar nossas pesquisas e nosso trabalho árduo a frente da preservação e da memória do Movimento Constitucionalista e da Revolução Constitucionalista de 1932!

Eric Lucian Apolinário
Presidente/Fundador
Núcleo M.M.D.C. de Itapira "Cel. Francisco Vieira"




quarta-feira, 19 de junho de 2013

PALAVRAS DO CEL.VENTURA SOBRE OS ACONTECIMENTOS EM SÃO PAULO

RESPOSTA DO PRESIDENTE DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-M.M.D.C.
AOS QUESTIONAMENTOS FEITOS QUANTO A POSIÇÃO 
DO IDEAL DEMOCRÁTICO DO MOVIMENTO CONSTITUCIONALISTA DE 1932
AOS ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS NO BRASIL

Perguntado nesses últimos dias qual seria a posição da Sociedade Veteranos de 32-MMDC face os últimos acontecimentos no BRASIL, tenho respondido o que venho fazendo desde 2011 em minhas palestras em ESCOLAS, OAB/SP, ROTARYS, LOJAS MAÇÔNICAS, enfim em dezenas de lugares onde fui convidado a falar sobre o Movimento Constitucionalista de 32-MMDC.
Em 29 de abril de 2013, apenas mudando o ano, como  também fiz em 2012, tornei a repetir as mesmas palavras de 2011, na Academia de Policia Militar do Barro Branco, nosso celeiro dos futuros comandantes. 
CARÍSSIMOS ALUNOS OFICIAIS DA ACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR DO BARRO BRANCO:
O Brasil é um país que resiste na beira do abismo. Abençoado por Deus e pela natureza, vive na dúvida entre o atalho do atraso e a reta da certeza. Uma nação que maltrata sua história e não agradece, todos os dias, a generosidade divina que nos concedeu uma extensão territorial de dimensão continental, rica em terras férteis, praias que enchem os olhos do mundo inteiro, água doce em abundância, fauna e flora que não devem nada aos países mais ricos.
Todos os versos e cantos ufanistas de nossa Pátria são verdadeiros e merecem o cultivo da eternidade. Quando Gonçalves Dias declama que “Nossa terra tem palmeiras, onde canta o sabiá...”, pratica um ato de civismo exemplar pelo caminho encantador da poesia. Assim como outros brasileiros exemplares, Gonçalves Dias tentou plantar raízes de civismo e amor à Pátria.
Civismo é a difícil tarefa de amar, em grandeza superior, os valores do País, do Estado e do Município. Uma pessoa acometida do vírus cívico é aquela que consegue romper os muros estreitos e menores de um cotidiano medíocre para se envolver em lutas e projetos que dignifiquem a vida. É fácil, cômodo e comum viver a pobre rotina da casa para o trabalho e de trabalho para casa, intercalada por um tempo livre que nada acrescenta e apenas demonstra que existe gente que passa por este mundo sem nunca ter vivido.
E a grande tragédia contemporânea do Brasil é a crescente alienação de sua população em relação aos valores cívicos que deveriam nortear uma nação civilizada.
Os jovens desapareceram das praças e a política, ciência superior do poder, deixou de ser pensada e discutida nas esquinas, evidenciando uma decadência social e cultural de elevada periculosidade cívica. A história nos ensina que o afastamento da juventude é um sinal de alarme para as nações, exigindo dos patriotas uma providência qualquer diante da falência de nossas instituições.
Por muito menos do que acontece no Brasil de 2013, os paulistas pegaram em armas dia 9 de Julho de 1932. Data máxima do povo paulista, 9 de Julho é a referência de honra e glória que jamais deixaremos desaparecer de nossa história.
Fizemos a maior guerra civil da história do Brasil em busca de uma Constituição para conquistarmos a democracia. Fomos derrotados militarmente, mas vencemos politicamente. Mesmo com a ditadura usando o rádio como propaganda enganosa, vendendo ao Brasil a idéia de que nossa revolução era separatista, liderada pelos italianos e barões do café, conseguimos a Constituição em 1934 e grandes avanços em direção à cidadania, como a conquista do voto feminino, por exemplo.
9 de Julho é o exemplo para sempre. Em 1932 fizemos a maior guerra cívica militar. Em 2013 precisamos, em paz, promover esse movimento cívico, partindo de São Paulo, para resgatar a ética, o próprio civismo e a cidadania numa nação destroçada pela corrupção.
O Brasil precisa buscar o exemplo nos tempos atuais da Epopéia de 32, onde o IDEAL DO DIREITO era a única meta daqueles 130 mil homens,  mulheres e crianças envolvidos no Movimento Constitucionalista Eles conseguiram, embora derrotados pelas armas, o retorno da Carta Magna do País. A eles nosso preito de gratidão! 

CORONEL PM MÁRIO FONSECA VENTURA
PRESIDENTE DA SOCIEDADE VETERANOS DE 32-MMDC

quinta-feira, 6 de junho de 2013

OUTORGA DA "MEDALHA M.M.D.C."

Os membros fundadores do "Núcleo M.M.D.C. de Itapira - Cel. Francisco Vieira" estiveram em São Paulo no último dia 1 de Junho, onde foram agraciados com a "Medalha M.M.D.C." Reconhecimento pelo trabalho desenvolvido pelo Núcleo na cidade de Itapira, onde trabalha ativamente pela memória do Movimento Constitucionalista de 1932 e também das batalhas no "Fronte Leste" durante a Revolução Constitucionalista de 1932. A diretoria do "Núcleo M.M.D.C. de Itapira - Cel. Francisco Vieira" declara que não é apenas uma medalha qualquer, é o símbolo do reconhecimento da "Sociedade Veteranos de 1932" e do Estado de São Paulo ao trabalho de pesquisa desenvolvido pelo Núcleo de Itapira.
FONTE: "Medalhística Militar Paulista"






A Medalha M.M.D.C. é uma comenda, oficializada pelo Decreto Nº 40087, de 14 de maio de 1.962, do Governo do Estado de São Paulo. A "Medalha M.M.D.C." , foi criada com o fim de galardoar pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras, que por seus méritos e serviços relevantes prestados à São Paulo e ao culto da Revolução Constitucionalista de 1932, se tenham tornado pessoas dignas de especial distinção.
Digna-se constar, que a Lei Fed. nº 12.430, de 20 de junho de 2011 decretada pelo Congresso Nacional e sancionada pela presidenta Dilma Rousseff,  inscreveu os nomes dos heróis paulistas da Revolução Constitucionalista de 1932: Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo (MMDC), no Livro dos Heróis da Pátria. A "Medalha M.M.D.C.", é portanto uma Comenda Emérita definitiva, pois perpetuará a gratidão e o reconhecimento, para todo o sempre, dos que cumpriram esta jornada cívica para com aqueles que, hoje e no futuro, continuarem abraçando os mesmos ideais de democracia, liberdade e amor à legalidade pelos quais se bateram os heróis e Veteranos de 32. (FONTE: MMDC Leste).

Eric Apolinário, João Marquezini, Amado Rúbio, Cel. Mário Ventura e Carlos Marquezini
Todos os condecorados no dia 01 de Junho