quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

UM CASAL REVOLUCIONÁRIO EM ITAPIRA

Trazemos hoje a história de um casal revolucionário em todos os sentidos!
João de Deus Vieira de Alvarenga (*08/03/1905 +24/07/1989) e Agostinha Moraes de Alvarenga
(*16/01/1914 +16/05/2004). João era fazendeiro em Itapira, trabalhava com plantação de laranjas. Possuía uma grande porção de terra onde hoje encontra-se a região da Rodoviária Municipal de Itapira, até as ruas próximas da igreja de São Benedito. Em 32, João se alistou para também lutar por São Paulo e representar Itapira na Revolução. Segundo o relato de seu filho, cujo nome é João de Alvarenga, seu pai lutou nas montanhas de Eleutério. Não soube porém, nos dizer em qual batalhão ele lutou. Pelo relato, possivelmente, João de Deus fez parte do Esquadrão de Cavalaria Chico Vieira.

Agostinha e João Alvarenga
 
Sua esposa, Agostinha Moraes de Alvarenga, grávida de seu primogênito, ficou na residência da família durante os dias de caos em Itapira. Juntamente com seu irmão, preparava café e comida para os soldados acantonados nas proximidades de sua casa. Mas, com o passar das semanas, a situação mudou.
João de Deus, como a grande maioria dos soldados paulistas que não morreram ou foram capturados, deixou a região de Itapira, com sua tropa, que possivelmente, se reagrupou na frente de Jaguarí (atual Jaguariúna). As tropas ditatoriais, já se aproximavam de Itapira. O desespero já começava tomar conta da população. Em uma decisão corajosa, Agostinha partiu para o front. Segundo seu filho, lutou na histórica batalha do Morro do Gravi.
Ainda há muito a se pesquisar, e muitas informações para serem confrontadas. Não sabemos se Agostinha partiu para o front "escondida", ou seja, se passando por homem, ou se simplesmente vestiu a farda e foi à luta. O Núcleo M.M.D.C. de Itapira "Cel. Francisco Vieira" continua em contato com seus filhos e filhas, em busca de maiores informações.

|ESTA PUBLICAÇÃO SE MANTERÁ ABERTA À FUTURAS EDIÇÕES ASSIM QUE NOVAS INFORMAÇÕES CHEGREM|.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

|BATALHÃO NA ESTAÇÃO DE ELEUTÉRIO|

Mais uma fotografia curiosa, interessante e intrigante! Um batalhão até então, desconhecido, em frente à estação ferroviária de Eleutério (Itapira-SP). Por essa estação, milhares de soldados e voluntários passaram durante Julho e Agosto de 1932, para seguir até as trincheiras a poucas centenas de metros dali. Se conseguirmos maiores informações sobre este batalhão, atualizaremos este post.
 
 

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

SP-1932 PARA CRIANÇAS!

Matéria do suplemento "Tribuninha" do jornal "Tribuna de Itapira" do último dia 3 de fevereiro.
Para melhor visualização, clique na imagem e baixe em seu computador:



sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

|CARNAVAL DE 1933 - ITAPIRA|

Naquele carnaval de 1933, muitas memórias, lembranças, horrores e sentimentos realmente ruins ainda pairavam por sobre os cidadãos Itapirenses e por todo o Estado de São Paulo, por onde as tropas ditatoriais passaram. O grande baile de carnaval foi marcado para acontecer no suntuoso salão do Clube XV de Novembro de Itapira, lar de inúmeras festas da alta sociedade na época. Extraído do jornal "A Cidade de Itapira" preservado na hemeroteca do Museu Histórico e Pedagógico Comendador Virgolino de Oliveira, esta pequena nota nos passa uma noção exata do quão fresca estava ainda na mente da população, a memória da Revolução Constitucionalista que acabara de acontecer..


Fachada do Clube XV de Novembro (1934)


Interior do Clube XV de Novembro (1934)

 
 
 

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

ALUNOS DO SENAC ITAPIRA VISITAM EXPOSIÇÃO

Na tarde de ontem, (quarta-feira, 06/02/2013) um grupo formado por 10 alunos do Senac de Itapira estiveram na exposição SP-1932, 80 Anos do Movimento Constitucionalista. Durante quase 1 hora, nos prestigiaram com sua presença, assistiram ao documentário e puderam aprender muitas coisas sobre o Movimento de 32 e a Revolução Constitucionalista de 1932.
 
|DETALHE: Alunos do Senac Itapira assistindo ao documentário "Pro Brasilia Fiant Eximia"
 
 
Também esteve presente, na última terça-feira, 05/02/2013, um grupo de 18 pacientes do Instituto Américo Bairral referência em hospital psiquiátrico em todo o Brasil e América Latina.
Continuamos com os agendamentos de escolas municipais, estaduais e particulares, assim também como grupos de turistas que queiram conhecer Itapira, a exposição e seus lugares históricos referentes à Revolução.

|NOTÍCIAS POR TODA A REGIÃO|

O já respeitado  e conceitual site chamado: Portal Megaphone , conhecido em toda a região de Campinas, Baixa Mogiana, Circuito das Àguas Paulista e Sul de Minas publicou na manhã de hoje uma matéria muito interessante sobre a visita dos membros do Núcleo M.M.D.C. de Itapira à residência do Herói Paulista, Sr. José Mango. Para visualização completa da matéria, basta CLICAR AQUI


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

A ÚLTIMA TESTEMUNHA DO GRAVI

"... Ser historiador é nunca se resignar. É tentar tudo, experimentar tudo para preencher as lacunas da informação. É explorarmos todo o nosso engenho, eis a verdadeira expressão ..."
(|Lucien Febvre|)

Poucos pesquisadores tem o privilégio de poder consultar pessoalmente fontes primárias. No nosso caso, este acontecimento foi muito além disso, foi a realização de um sonho. Um sonho, até então, julgado impossível. Em todos estes anos de pesquisa sobre a Revolução Constitucionalista de 1932, sobre as batalhas do Setor Leste, que abrange dezenas de cidades, incluindo S. J. do Rio Pardo, Itapira, Mogi Mirim, Amparo, Pedreira, Campinas. Mais precisamente, as batalhas de Eleutério e Gravi. Sempre sonhei em poder, um dia, falar com um ex-combatente, alguém que realmente tenha presenciado, tenha estado lá. O destino, que as vezes brinca conosco, nos surpreende, nos assusta e encanta, ousou desta vez! Fez com que um filho, à procura de informações sobre seu velho pai, entrasse em contato com o Núcleo. Por meses, mantivemos contato, e finalmente, conseguimos agendar uma visita a um herói de guerra, um herói paulista!
 
Seu nome: José Mango. Sua idade: 100 anos e 1 mês! Sua história: foi um dos cerca de 15 sobreviventes de seu batalhão com mais de 100 soldados, à uma das mais sangrentas e terríveis batalhas de toda a Revolução Constitucionalista de 1932, a batalha do Morro do Gravi.
 
Nosso sentimento quanto pesquisadores e entusiastas de 32, é não apenas de dever cumprido, mas de extrema honra de poder conhecer um veterano, que, aos 100 anos de vida, ainda estufa o peito ao dizer: "... Eu estava lá para morrer por São Paulo. Nada mais importava ..."
Nascido, criado na cidade paulista de Altinópolis, se alistou como voluntário aos 19 anos, para lutar por São Paulo. Seguiu para a capital com demais amigos. Lá, uniu-se ao famoso Batalhão "9 de Julho". Seguiu depois para Campinas, onde seu destacamento aguardou ordens de seguir para a frente de batalha. Pela Mogiana, chegou enfim a cidade de Mogi Mirim, de onde partiu para a frente do Gravi, onde o exército Constitucionalista já se encontrava entrincheirado, resistindo aos ataques partidos do flanco esquerdo e da cidade de Itapira (já ocupada pelas tropas federalistas). Teve seu "batismo de fogo" no histórico Morro do Gravi, onde ainda um jovem inexperiente na "arte da guerra", viu companheiros de batalhão, e amigos de outros batalhões serem mortos a tiro de fuzil, a estilhaços de granada e a bombardeios aéreos. A refrega do Gravi foi o derradeiro fim dos confrontos no Setor Leste. Lá, as tropas paulistas que vinham das frente de Amparo-Pedreira, Eleutério e Prata, uniram-se a batalhões, destacamentos e pequenos grupos de resistência que foram enviados ao Gravi para apoiar as tropas que perderam a cidade de Itapira em poucos dias, devido ao avanço incansável dos batalhões provisórios que vinham da Bahia, Ceará, Sergipe, Rio Grande do Norte, Alagoas e o famoso 14º do Rio Grande do Sul, vindo da cidade de São Borja, comandado por Benjamin Vargas, irmão do então presidente Getúlio Vargas.


Seu testemunho, vai muito além do que simples memórias do passado. Seu testemunho é a História viva, de momentos brilhantes de patriotismo, de total luta pela democracia, contra um opressor, em defesa da Soberania Nacional, da liberdade do povo brasileiro.

* Em breve, publicaremos aqui, um video deste gratificante e inesquecível encontro! Fique ligado!