segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

EXPEDIÇÃO - TRINCHEIRA T-03

Ocorreu no últimodomingo, 02 de dezembro de 2012, mais uma expedição às trincheiras do Setor Leste, nas proximidades de Eleutério. Nesta expedição, contamos com a presença de dois entusiastas, Braz e Adenilson, da cidade de Santa Cruz das Palmeiras - SP.
O dia começou lindo, com um sol forte, que nos possibilitou uma subida tranquila até a trincheira T-03. Por motivos óbvios, infelizmente não podemos divulgar a localização exata destes sitios arquelógicos, pois além de estarem extremamente preservados, ainda não possuem total assessibilidade, e não podem correr o risco de serem visitados por saqueadores.
Hoje, o Núcleo Cel. Francisco Vieira, tem mapeadas e visitadas o total de 10 trincheiras, locais onde se instalaram postos de controle, telefonia, quartel general, acampamentos, além de diversos prédios em toda a cidade e região de Itapira que comprovadamente foram utilizados durante o movimento armado.
Durante toda a manhã, permanecemos na T-03, onde, primeiramente, após limpeza e empreitadas na mata, localizamos uma extensão desta trincheira, que conta com mais de 20 metros de comprimento, com um provável ponto de metralhadora. A trincheira, que fica no alto de uma colina íngreme, tem um alcance de 360º, ou seja, de lá, os soldados poderiam atiram tanto para o território paulista, quanto para o território mineiro. 
A T-03 fica muito próxima da T-01, uma trincheira muito bem projetada por engenheiros paulistas, poucos metros abaixo. O alto desta colina é um lugar moderadamente plano, que possibilitava aos soldados paulistas uma grande mobilidade, podendo combater na trincheira, ou então, recuar poucos metros para descanso, cuidados com os feridos, ou comunicação com o Q.G. ou o P.C. Por esse local, também havia uma ligação direta com uma estrada que leva rapidamente até o distrito de Eleutério, facilitando assim os caminhões e carros que transportavam comida, munição e todo o material necessário.
Em breve, quando postarmos aqui as descrições de cada uma das trincheiras mapeadas, nossos leitores poderão ter maior noção de toda a estruturação destes locais.
Entre os materiais encontrados, temos dezenas de capsulas deflagradas, pentes-carregadores. Mas as maiores descobertas deste dia, foram duas munições 7x57mm de fuzil Mauser intactas. Uma de ponta arredondada e outra de ponta fina. Além disso, encontramos também uma alavanca de granada, muito provavelmente, da famosa "granada paulista", produzida pela Politécnica e pelas fundições da capital paulista. Um material rico em história. As duas munições intactas, foram devidamente desarmadas, tendo sua pólvora retirada. Em um teste seguro, os pesquisadores confirmaram que a pólvora ascendeu, mesmo após mais de 80 anos de sua fabricação e 8 décadas abaixo da terra, recebendo todas as forças da natureza.
O Núcleo Cel. Francisco Vieira agradece aos amigos Braz e Adenilson pela companhia.










Nenhum comentário:

Postar um comentário